Tall Bastah

Os Tábaxi do planeta Tall Bastah acreditam ser descendentes diretos da divindade solar Bastet e que o Portal das Estrelas (referência do filme Stargate) foi um presente da Deusa para que eles pudessem visitá-la com oferendas. Alguns milênios se passaram em paz, até que o povo se dividiu e uma parte rebelde desejou se tornar como sua deusa: imortal. Parte da população buscou uma alternativa para a imortalidade através da transferências de corpos. No início utilizou-se corpos dos próprios Tabáxis, o que gerou uma guerra civil. A Deusa Bastet interferiu , dando duas opções aos Tabáxis: Aceitavam sua natureza mortal ou se tornavam imortais. A Deusa sentiu o desejo da imortalidade em parte dos Tabáxis, então lhes deu o conhecimento do uso do Portal das Estrelas para que pudessem buscar novos hospedeiros, impedindo que matassem os da sua espécie. Para a outra parte, como provação, fez com que esquecessem os glifos dos Portais Estelares que levavam à localização da deusa, dizendo-lhes que teriam de encontrar as coordenadas para ela por conta própria. O conhecimento encontrado em novos mundos os ajudaria a entender a si mesmos e seu lugar no universo, para só então um dia voltarem a encontrar Bastet. A parte dos Tabáxis que escolheu a imortalidade foi embora pelos portais se perdendo para sempre em sua infinitude, deixando há muito tempo seus corpos felinos e sua identidade como Tabaxi. A outra parte mortal continuou no planeta Tall Bastah, buscando sem hesitação a sua deusa até os dias de hoje. Dez mil anos já se passaram e esta história tornou-se um mito.

Tecnologia Mecano Arcana

ycac5chv

Com a tecnologia do Portal das Estrelas, sendo a lenda de que ele foi presente de Bastet verdadeira ou não, os Tabaxis conseguiram desenvolver-se bastante no campo da mecânica, da biologia e das artes arcanas. Eles rapidamente se apropriaram dos instrumentos e conhecimentos dos planetas que visitavam pelo Portal e combinavam com os que já tinham para formar uma sociedade amplamente tecnológica.

Não é incomum que se veja por aí um planador, uma peça de pedra arenosa encantada e reforçada com estruturas metálicas com dimensões quadradas geralmente de três metros de cada lado, com altura de cerca de cinquenta centímetros, instrumentos que servem de meio de transporte tanto de pessoas quanto de materiais.

As estruturas mais impressionantes de Tall Bastah, porém, são as suas gigantescas Pirâmides, residência dos Ghani - a nobreza Tabaxi -, com seus elevadores externos que engrenagens de aço e o poder arcano amplificado pela Bastita, que levam habitantes e visitas de alto abaixo e no caminho oposto, sempre ocupados. Nelas também se encontrarão as diversas câmaras secretas acionadas pelo DNA de seus criadores (ou moradores, pois a maioria dos Ghani são também os mais famosos engenheiros Tabaxi) e armadilhas ardilosas destinadas a tornar pó invasores incautos.

Bastita é a fonte do sucesso de Tall Bastah. O minério é a base da construção dos Portais das Estrelas e muito suscetível ao encantamento místico, permitindo a criação das maravilhas que seriam impossíveis sem a combinação de engenharia genial e magia. As fontes de Bastita, entretanto, vêm se esgotando no planeta, exigindo cada vez mais que os Tabaxi viagem pelo Portal das Estrelas para procurar mais fontes do minério, muito raro no multiverso.

Uma Sociedade de Castas

Durante a Guerra Civil, os Tabaxis que buscavam a eternidade nos corpos de seus compatriotas mais novos começaram a selecionar os melhores hospedeiros, que ficaram conhecidos como Alluhum Ghani, Carne Rica. Muitas crianças foram fruto da engenharia genética de Tabaxi, nem sempre voluntários, para que as melhores mentes ocupassem os melhores corpos, o que foi um dos estopins do conflito. Com o tempo, a cisão dos aspirantes a imortais e dos Tabaxi ficou clara e os primeiros acabaram ficando conhecidos como Ghani, de maneira injuriosa, e os segundos de Hazin, ou os tristes (por serem incapazes intelectual, social ou moralmente de criar hospedeiros melhores para prolongarem suas vidas).

Segundo a lenda, a interferência de Bastet evitou o extermínio dos Hazin, já que os Ghani só não os exterminaram, já que tinham a supremacia em poder e conhecimento, pois precisavam de cobaias e corpos para seus experimentos e transferências mentais. O que é pouco sabido, porém, é que muitos Ghani entenderam a intervenção da Deusa como um sinal de que seus atos eram realmente imorais e inescrupulosos, não se juntando Àqueles que se Foram, como ficaram conhecidos os Tabaxis que escolheram a vida parasítica. Estes redimidos ainda possuíam muitas riquezas, que facilitaram sua vida na nova Tall Bastah e, através dos séculos seus descendentes logo ascenderam socialmente, tornando-se no presente a nobreza do planeta.

Ainda segundo o mito, Bastet escolheu um entre os Hazin para guardar o Portal das Estrelas. Apenas ele e seus descendentes teriam o poder de acionar o mecanismo com seu código genético e o dever de evitar que o planeta fosse invadido. O nome deste ser era Ahktiar Al Malaq, e a população acabou entendendo o ato da deusa como uma coroação e desde então os Malaq são a realeza de Tal Bastah. Apenas o DNA de um Malaq pode abrir o Portal das Estrelas e isto já gerou diversas intrigas na corte e entre os Ghani. A certa época, estas tentativas de golpe contra o poder real estavam fora de controle e foi quando os Malaq criaram a casta Bas-Qut.

Doutrinados desde a infância nos dogmas de Bastet, os sacerdotes guerreiros de Tall-Bastah formam uma espécie de exército religioso, com fé inabalável no Rei Malaq, a quem acreditam que Bastet abençoou com o poder e a sabedoria divina. Eles se subdividem em postos dos mais variados tipos, uns voltados mais para o dogma e outros para o combate direto, como é o caso da Guarda Real.

O grosso da sociedade de Tall Bastah, entretanto, continou sendo conhecida como Hazin, os trabalhadores mais pobres e braçais, especialmente mineradores. Dentre estes, porém, aqueles que se destacam e conseguem mais sucesso, em geral no comércio, acabaram ficando conhecidos como Madina, os Esforçados, como se autodenominaram.

A transição entre as castas é rara e, em geral só ocorre entre as castas próximas, ou seja, um casamento de um Ghani com um Malaq, ou a ascensão de Hazin para um Madina. A casta Bas-Qut é uma exceção: nela tanto se encontram crianças abandonadas no templo de Bastet, uma grande pirâmide de ébano e ouro, quanto Tabaxis que sentiram o Daewa, o Chamado de Bastet, vindos de qualquer casta e decidiram dedicar suas vidas como Bas-Qut.

Malaq

lê-se /MÁ-lak/ (pl. Malaqi, /MÁ-la-KAI/) - Família Real e Agregados, Guardiões do Portão das Estrelas.
y9gtrgmc

Ghani

// lê-se /GÂ -ni/ (pl. Ghanis, /GÂ -nis/)// - Nobreza, descendentes dos arrependidos e não se juntaram Àqueles que se foram.
yd8gy5vp

Bas-Qut

// lê-se /bas-KÚT/ (sem plural)// - Sacerdotes Guerreiros.
ya9q9zz9

Madina

lê-se /MÁ-di-na/ (pl. Madinas, /MÁ-di-nas/) - Classe Média, em geral comerciantes.
ycfjxt9f

Hazin

lê-se /ra-ZÍN/ (sem plural) - Pobres. Trabalhadores braçais em geral.
y9mwstet

Terra Árida

ychbzwoh

Não existem fontes de água superficiais em Tall Bastah. Até as fontes subterrâneas são raras, então o líquido é um recurso limitante ao crescimento populacional e seu acesso é considerado um dos definidores de status social.

Na maioria das pirâmides, existe um sistema de extração de água do lençol freático subterrâneo. Inclusive, a localização das mesmas foi provavelmente definida pela possibilidade da aquisição do líquido vital com mais facilidade. Os poços, ou Jayid, são maravilhas da tecnologia Tabaxi, desenvolvida pela raça antes mesmo da Guerra Civil. A idéia para tal ferramenta veio de uma planta natural da flora de Tall Bastah chamada Sabaar-Khaya, uma planta cujo espesso tronco cilíndrico se expande em raiz de semelhante estrutura que cavam fundo nas areias e pedras do solo até encontrar os lençóis freáticos que sugam o líquido das profundezas, mas as copas destas plantas são bem ralas e sua característica mais interessante é que elas excretam água praticamente pura de sua casca, formando oásis vegetais que permitem a existência de uma rica fauna em pequenas ilhas de diversidade no planeta desértico.

ydecwvuv

Nas cidades, um complexo sistema de aquedutos foram desenvolvidos, em uma era de Malaqi caridosos, para levar água para a população mais pobre. Esta água vem do Grande Templo de Bastet, a Pirâmide de Ébano, e onde se encontra o maior Jayid. Estes aquedutos, entretanto, muitas vezes também já foram usados como esgotos e nem sempre a água que chegava até os Hazin e Madina nas periferias era potável; sem opção, porém, o consumo da água “envenenada” já levou a muitas pragas e rebeliões. Assim, muitos Madinas cresceram comercializando água dos Oásis de Sabaar-Khaya, mas tal empreendimento exige o cruzamento dos desertos de Tall Bastah, que apresentam diversos perigos, inclusive de resquícios da Guerra Civil.

O planeta Tall Bastah é muito antigo, não há mais montanhas, pois todas foram desgastadas pelo vento e nem vulcões ou terremotos, pois a atividade geológica cessou há muitos milênios. Segundo certas lendas ele é oco, a planta Sabaar-Khaya consegue alcançar o núcleo do planeta, onde toda a água está concentrada numa esfera gigante líquida suspensa pela gravitação. Dizem que monstros habitam estas águas.

ya9ccx6z
yd3zwaup

Os Habitantes de Tall Bastah

Os Tabaxi são os primeiros habitantes do planeta a adquirirem consciência, segundo a lenda, pois os dois primeiros de sua raça, Qut e Harira, macho e fêmea, foram banhados na saliva de Bastet; as crias dos dois vieram a se tornar a raça dos Tabaxi, oua assim a lenda conta.

Mitos à parte, os Tabaxi são os seres sencientes de maioria numérica esmagadora em Tall Bastah. Com o uso crescente do Portal das Estrelas, muitas criaturas, conscientes ou não, acabaram sendo trazidas ou traficadas para o planeta, o que gerou diversos problemas em sua biodiversidade. Isso aconteceu muito antes da Guerra Civil, numa época em que a raça era mais unida e o problema foi resolvido com o extermínio das espécies alienígenas e mais controle do que era transportado através da passagem planar, mas às custas da extinção de boa parte da flora e fauna de Tall Bastah, tornando-o ainda mais desértico. Após a Guerra Civil, é responsabilidade dos Malaq o controle do tráfego pelo Portal das Estrelas e só com a expressa autorização do rei que se pode um estrangeiro ou fauna alienígena ser trazida ao planeta, em geral com diversos poréns e resguardos.

Sendo assim, é raríssimo a existência de outras raças em Tall Bastah, e quando existem, eles são conhecidos como Zayir, ou Visitantes, aqueles cuja estadia é outorgada pelo rei. Também podem existir casos de invasores, Gihaza, que são caçados intensamente pelos Bas-Qut para captura e, em geral, imediato extermínio. Entretanto, outras raças e culturas não são desconhecidas aos Tabaxi, justamente pelo estudo originado do uso contínuo do Portal das Estrelas, especialmente aos Malaq, Ghani e Bas-Qut.

A fauna do planeta é pouco diversa, especialmente após a extinção pré Guerra Civil. A parte mais variada dos animais está localizada nos oásis em torno das Sabaar-Khaya e se tratam de maioria de insetos e alguns vertebrados de maior porte. Os desertos de Tall Bastah também possuem seus habitantes; adaptados à aridez, estas criaturas são principalmente vermes e insetos mutados (alguns julgam por ação d´Àqueles que se Foram) que não perdem a oportunidade de caçar uma presa.

Finalmente, há o legado da Guerra Civil. Com a ascenção dos Malaqi e banimento dos Ghani originais, a maioria das máquinas de guerras - em maioria projetadas por estes - foram destruídas ou inutilizadas e usadas como lembranças de um passado a ser evitado. Entretanto, algumas máquinas restaram, por desleixo ou malícia de seus expulsos soberanos, e vagueiam por Tall Bastah e representam seus predadores mais perigosos. Construídas com o poderoso minério Bastita e banhadas com intrincados encantamentos, elas eram usadas para capturar suas Alluhum Ghani (Carne Rica, hospedeiros) e como armas durante a Guerra Civil. Dentre estes construtos arcanos pode-se mencionar os Aljueran Alkuratul, uma espécie de Escaravelho mecânico capaz de encolher em uma esfera e mover-se rapidamente e atropelar seus inimigos, além de - em seu modo insetóide - cortar aço com suas garras de Bastita; e também os Nasiir Alsamah, águias robóticas cujas garras cortam e capturam presas, além de possuir canhões de plasma capazes de atingir um alvo a mais de cinquenta metros de distância com precisão; e o mais temido de todos, o Anúbis, a máquina de guerra mais mortal d´Áqueles que se Foram, um ser humanóide com cabeça canina capaz de pular longas distâncias e destruir seus inimigos com garras de Bastita afiadíssimas e disparos de plasma desintegradores e sua destruição trazia ainda mais morte.

O Culto à Bastet e os Mitos e Magia em Tall Bastah

ycagmu9w

A Deusa dos Tabaxi é uma entidade cósmica de origem desconhecida e supostamente imortal. Segundo a lenda, ela veio de seu planeta em visita a Tall Bastah e deu consciência aos primeiros da raça através de seus saliva e os ensinou, não se sabe se ao mesmo tempo ou depois, os segredos do Portal das Estrelas. Também é atribuído à Bastet o ponto definitivo da Guerra Civil entre os Tabaxi e Aqueles que se Foram, libertando (ou banindo) estes de Tall Bastah para seguir procurando hospedeiros em outras coordenadas do Portal das Estrelas, dando origem à atual sociedade de castas. A lenda diz que os Tabaxi visitavam Bastet pela passagem mística, mas que as coordenadas para sua morada lhes foram tomadas após a Guerra Civil.

A Deusa é descrita como uma forma muito semelhante à Tabaxi, mas sem pelos e traços mais retilíneos, perfeitos, e seus olhos são pontos de luz cuja cor muda conforme seu humor.

Como Bastet foi representada como um ser semelhante a um Tabaxi sem pêlos, quando um ser desta raça nasce com a raríssima mutação de não apresentar nenhum pêlo no corpo, ele é considerado especial, chamado Alluhum Aslae, ou Carne Pura. Muitas vezes, estes seres são recolhidos de sua família para conviver entre os Ghani ou entre os Malaq, assumindo o papel de um símbolo de aqueles que o acolheram são abençoados por Bastet. Na realidade, porém, muitos desses pobres seres são tratados como bobos da corte ou acabam como vítimas de temerosos experimentos nas mãos dos Ghani.

yclz4q99

Cabe ao Bas-Qut a execução e preservação dos ritos e oferendas a Bastet, assim como a eterna busca pelas coordenadas estelares da morada da Deusa, para que os Tabaxi possam finalmente encontrá-la. Esta classe dos Bas-Qut que é mais voltada ao culto à Bastet é conhecida como Ealim, os Estudiosos, e são eles os que mais estão em contato com o espiritual Tabaxi, destoando da tecnologia que cerca a raça e lhes concedendo poderes mágicos, dons de Bastet. A noite é a hora de Bastet e é nesses momentos que os ritos, em geral meditações e oferendas, são realizados pela população geral.

Anualmente, os Bas-Qut celebram o Yawm Alqamar, a Cerimônia da Lua, que serve de rito de passagem para os guerreiros e celebração em nome de Bastet para o resto dos Tabaxi. Durante três noites os Malaqi e Ghanis festejam no interior da Pirâmide de Ébano, em meio aos rituais Bas-Qut, e os Madinas e Hazin do lado exterior. Ao final da terceira noite, quatro guerreiros prodígio Bas-Qut, escolhidos entre os mais novos - geralmente cada um orinário de uma casta, são levados pelo próprio Rei ao Portal das Estrelas, onde uma coordenada aleatória é discada no mecanismo e os jovens são enviados na esperança de encontrar Bastet. Seu retorno é esperado por três dias, geralmente com notícias que não encontraram a deusa, mas o rito prega que se as coordenadas corretas forem encontradas, todos os Tabaxi de Tall Bastah devem prestar tributo perante sua Matrona em três dias em grande celebração.

Magia e Tecnologia em Tall Bastah estão intrinsecamente interligados desde o advento do Portal das Estrelas. A Bastita e o conhecimento acumulado ao longo dos anos através da exposição a outras culturas através das viagens a outros planos (ou planetas) permitiu avanços em ambas as áreas mística e técnica, assim como em suas combinações. A biologia também é um campo muito estudado pelos Tabaxi para entender o ambiente e as espécies contatadas através do Portal das Estrelas, então eles já entenderam que cada ser possui seu próprio código genético e estudam alguns usos para o mesmo, como o de segurança (o Portal das Estrelas só abre com o toque do DNA de um Malaq, por exemplo).

A Importância do Portal das Estrelas na Sociedade Tabaxi

yc3bpqvn

Tall Bastah é um planeta pequeno. Sua aridez já causou diversos problemas à sua população, em especial aos Hazin que não possuem recursos suficientes, já que são basicamente escravos, para garantir sua própria subsistência de maneira constante. Não foram poucas vezes que o Portal das Estrelas foi usado por uma questão de sobrevivência dos Tabaxi, antes e após a cisão, certas vezes envolvendo conflitos com culturas alienígenas. Portanto, o mecanismo não é apenas utilizado para buscar Bastet ou colher conhecimento sobre os mundos inexplorados, mas também para angariar recursos para a sobrevivência de Tall Bastah.

Em tempos de fartura, porém, Tabaxis agem como excelentes embaixadores. Seu conhecimento sobre a magia e a tecnologia já serviu como moeda de troca em vários acordos com diversos tipos de culturas alienígenas e entidades cósmicas, angariando não apenas conhecimentos como também aliados - especialmente comerciais - entre os planos exteriores. Todo o comércio praticado através do Portal das Estrelas é, obviamente, controlado rigorosamente pelos Malaq.

ychwz398

Ainda, por motivos ainda não descobertos por Ghanis ou Bas-Qut, viagens planares são impossíveis de ou para Tall Bastah afora aquela através do Portal das Estrelas. A teoria mais aceita para este tipo de bloqueio planar é que a Bastita do planeta interfere de alguma forma na viagem para os planos distantes. Muitas alternativas de transporte planar já foram experimentadas pelos Ealim e Ghanis, algumas delas sem o consentimento dos Malaq, mas até onde se sabe todas foram falhas. Entretanto, uma das experiências levou um Ealim a criar um cubo capaz de transportar pessoas a dimensões criadas a partir de dados alimentados à ferramenta a partir de dados reais de planetas visitados, como uma espécie de realidade virtual. A maior utilidade deste cubo, atualmente, é para os Mubarazat Alnujum, ou Duelo nas Estrelas, onde as disputas mais ferrenhas são resolvidas da maneira antiga, pela força. O cubo permite que o duelo seja mais justo, pois suas configurações não podem ser alteradas a não ser pelo Ealim que o criou, e tenha menos danos colaterais, já que a morte no Mubarazat incapacita o perdedor, mas geralmente não o mata.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License