O Maravilhoso Destino do Serpente Dourada

-Resumo: Os aventureiros são contratados para encontrar um navio supostamente roubado de Ngyali, uma pirata.
-Ganchos: Grana/Bufunfa/Cash/Dinheiro
-Personagens Focados: Nenhum
-NPCs Importantes: Ngyali
-História: Vindos dos mais variados cantos do mundo, Kadaiss é uma gigantesca cidade portuária sustentada pelo comércio marítimo abundante. Povos de todo o mundo acabam se encontrando em Kadaiss e não se faltam oportunidade de trabalhos e aventuras.
Além de se localizar em uma região central, Kadaiss se destaca dos outros portos do Arquipélago por sua isenção de impostos de ancoragem, uma política do Povo Azul (como são chamados os habitantes originais, e regentes) para atrair muitos navios mercantes para sua capital, facilitando a segurança das rotas e alimentando o comércio de todo o tipo. Inclusive de itens de origem não declarada, pois muitas lojas compram estes itens a baixos preços para vendê-los com lucro maximizado.

O ATAQUE DAS HARPIAS

É nesse ínterim que, na taverna Ganso Real, Ngyali Arman procura aventureiros intrépidos para investigar o desaparecimento de seu navio:o Serpente Dourada. Ngyali é uma humana negra, com os cabelos raspados vestida de calças de couro e camisas de seda, sua pele é decorada com escarificações tribais cujo sentido só a ela é conhecido. A pirata, como evita ser chamada, afirma que seu imediato (Luvian Malt) roubou seu navio mais estimado enquanto ela resolvia assuntos em terra. Entretanto, ela diz já ter confrontado Luvian que disse ter sido atacado por harpias, lideradas por um estranho monstro com corpo de ave e cabeça de veado.

Natureza (CD 15) – O Monstro é um Peryton, um misto de ave de rapina e veado que devora o coração de suas presas.

Segundo Ngyali, Luvian é um covarde e pretender fugir para o interior da ilha, para Hyren, buscando evitar as montanhas cuja encosta foi de onde as criaturas vieram. Segundo Ngyali, seu navio foi atacado ao sul, perto do estreito montanhoso que daria em Róz.

Investigação/Persuasão (CD 10) – Caso os aventureiros decidam procurar por Luvian, ele lhes contará que o navio simplesmente aparecera na posse de Ngyali certo dia. No entanto, haviam diversas portas trancadas que Ngyali os proibia de abrir. Ainda, segundo o elfo, coisas estranhas começaram a acontecer (comida estragando, rum virando leite azedo, pessoas desaparecendo), o que causou um princípio de motim, mas como todos temiam Ngyali Luvian decidiu tentar zarpar sem a capitã para tentar vende-lo em Róz, quando foram atacados pelas referidas criaturas. O elfo se considera com sorte de sair vivo da empreitada.

Persuasão/Intimidação (contrateste +3) – Caso tentem tirar mais uma informação do elfo, ele lhes contará que uma vez entrou em uma das salas proibidas, com uma chave em forma de triângulo que Ngyali guardava em sua cabine. Quando adentrou a porta, ele diz ter sido transportado para uma floresta, como se fosse mágica. Temeroso, ele logo voltou para a porta, trancou-a e colocou a chave no seu devido lugar.

Sendo assim, os aventureiros devem decidir como chegar ao local onde o navio foi visto pela última vez:
1- Por mar: pegar passagem em um navio (5 POs cada) e serem atacados por Merfolk.
2- Por terra: conseguir encontrar o caminho pelas montanhas e serem atacados por um bando de harpias.
De qualquer modo, eles acabam descobrindo que no topo da falésia, onde as harpias parecem estar fazendo uma revoada. Então, são atacados por mais harpias e finalmente chegam ao topo, onde encontram o Peryton. Depois de derrotada a monstruosidade, os aventureiros percebem que ele carregava atado a um dos chifres um pedaço de couro adornado com runas.
Ao tocar o talismã, os aventureiros sentem um impulso de se deslocar em uma determinada direção, que os levará até um fiorde, onde podem observar o Serpente Dourada em todo o seu explendor.
Os personagens passam de nível.

O SERPENTE DOURADA

O navio era um galeão, com 24 metros de comprimento, 9 metros de largura, quatro mastros e pelo menos 3 decks. Em suas laterais, um metálica cobra dourada serpenteava até a proa, onde abria sua bocarra ameaçadoramente.
Ao aproximar-se do navio, o portador do couro encantado deve fazer um teste de resistência de Sabedoria (CD 10) para evitar que o impulso de proteger o navio ataque seus companheiros.
O navio está sendo protegido por harpias. Derrotando-as, os personagens podem explorar o navio, encontrando diversas portas decoradas com estranhas runas, além da cabina da capitã Ngialy revirada.

Investigação CD 10 – Os personagens encontram a chave em forma de triângulo mencionada por Luvian.

No deck superior, os personagens encontram uma estranha pedra redonda, que parece ser parte do navio. Ao redor dela, diversas runas semelhantes às das portas marcam quatro reentrâncias, uma delas preenchida por um cristal amarelado. Facilmente os personagens identificam que algumas das portas possuem símbolos equivalentes à pedra central.
Porta 1 – O pictograma marcante desta entrada representa uma caverna. Ao adentrarem o portal, os aventureiros se encontram em uma caverna. Se fecharem a porta, o portal se fecha (até que o cristal). Se investigarem a caverna, perceberão que ela é ocupada por drows e aranhas, que guardam em um salão de tesouros um cristal marrom.

Porta 2 – O pictograma representa uma árvore. Os personagens são atacados por um grupo de bandidos. Elfos os ajudam. Eles então descobrem que estão em uma dimensão limitada, e que elfos e humanos (oriundos de uma antiga vila que se deteriorou) coabitam e lutam entre si. O cristal está encrustado em uma árvore anciã, e só conseguirão tirá-lo de lá enfrentando os elfos e druidas.

Porta 3 – O pictograma é uma montanha. Os aventureiros se deparam em um platô que aparentemente não possui meios para baixo e o céu parece englobar a montanha. O cristal está nas mãos de um culto que o usa preso e uma adaga ritualística para sacrifícios humanos.

Encontros

Possibilidades de Encontros – Ataque das Harpias

Ordem Inimigos XP Dificuldade
1 4 Crias de Harpia/Merfolk 100 Fácil
2 2 Harpias 400 Mortal
3 1 Peryton/Merrow 450 Difícil
4 6 Crias de Harpia/Merfolk 150 Médio
5 1 Harpia + 2 Crias de Harpia 250 Mortal

Possibilidades de Encontros – O Serpente Dourada

Ordem Inimigos XP Dificuldade
1 1 Harpia + 5 Crias de Harpia 325 Médio
2 1 Aranha Gigante + 5 Aranhas 250 Médio
3 4 Drows 200 Fácil
4 2 Aranhas Gigantes + 4 Aranhas 440 Difícil
5 1 Aranha Gigante +4 Drows 400 Difícil
6 5 Bandidos 125 Fácil
7 1 Capitão Bandido + 2 Bandidos 500 Mortal
8 3 Batedores Élficos 300 Médio
9 1 Druida + 2 Batedores Élficos 650 Mortal
10 7 Cultistas 175 Fácil
11 1 Fanático do Culto + 2 Cultistas 500 Mortal
12 Abocanhador Matraqueante + 1 Cultista 475 Médio

Crias de Harpia

Características Básicas
Raça/Tipo: Monstruosidade Pequena
Tendência: CM
Defesas
CA: 11 (+1 Des)
PVs: 14 (4d6)
Movimento: 6m (4qd), Voar 9m (6)
Habilidades
For 11 (+0), Des 12 (+1), Cons 11 (+0),
Int 7 (-2), Sab 10 (+0), Car 13 (+1)

Proficiências, Sentidos e ND
Línguas: Comum
Sentidos: Percepção Passiva 10
Nível/ND: 1/8 (25 XP)
Ações
Garras: Ataque Corpo-a-Corpo +2, alcance 1,5m, alvo único; 1d4 (2) Cortante.

y7tr8cxk
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License