8 - Ilhas Ocrest

As ilhas são a porta de entrada para Asfária.

História

Quando o continente arquipélago foi descoberto, a primeira ilha a ser explorada foi a ilha Zard, que ganhou o nome muito depois. Desde o início da história das três ilhas, Zard, Sórus e Okemai, o vulcão que se localiza no exato centro geográfico que divide seus mares. Os primeiros habitantes criaram um culto a Tarnlorvor que colocava o vulcão, que foi batizado de Ocrest ou "Bastião do Sol", como símbolo máximo do poder do Senhor dos Elementos. O culto ao vulcão cresceu muito nos primeiros anos nas três ilhas e todos que passavam por elas - ou seja, basicamente todos que entravam em Asfária - pagavam tributos para usar os portos de Zard, Sórus e Okemai. Nesta mesma época a cidade de Ocrest foi erigida aos pés do grande vulcão, se tornando um grande centro comercial e religioso da região.

Séculos mais tarde, outro mito surgiu nas ilhas ao Oeste: o Garra Prateada. Os seguidores do Pirata dominaram todas as ilhas ao Sul de Asfária e Zard, Sórus e Okemai não foram exceção. Por muito tempo as ilhas ficaram sob o domínio dos piratas e o culto ao vulcão se tornou apenas uma sobra do que era. Foi nessa época que uma grande erupção destruiu a cidade de Ocrest, que nunca chegou a ser reconstruída depois disso, passando a importância para as cidades que dão o nome das ilhas, Zard, Sórus e Okemai. Tomados por um sentimento mútuo de nacionalismo, as três cidades se uniram contra o império do Garra Prateada, que à época já estava em declínio, resultando na criação do Reino Ocrest, organizado na tripartição do poder entre as três cidades estado.

Política

O poder político de Madhei é o Conselho Tríplice. São três Cidades Estado: Zard, Sórus e Okemai, cada uma nomeada em nome da ilha em que se situam. Cada cidade - e por consequência, cada ilha - é comandada por um duque e é responsável por um subdivisor de poder: Zard é responsável por recursos minerais e madeira, além de ser a principal construtora de navios das ilhas; Sórus é responsável pelo comércio, especialmente o comércio externo, sendo a mais rica das cidades e também aquela com maior poder militar; Okemai é responsável pelos recursos agrícolas, ela alimenta basicamente todas as outras cidades e é uma grande exportadora de grãos e outros alimentos menos perecíveis.

As reuniões do Conselho Tríplice são mensais e acontecem presencialmente ou através de procuradores, diplomatas treinados especificamente para falar por seus duques (uns dizem até que seguem um condicionamento mágico). Estas reuniões definem os rumos do Reino, os planos de batalha (quando há estado de guerra), táticas de comércio, políticas externas, leis, etc.

Lei

A lei em Ocrest é itinerante. Os juízes são, em sua maioria, clérigos de Hurst ou servos do Deus da Justiça que prestam serviços aos governos locais, julgando os criminosos capturados e prestando assessoria aos conselhos legisladores locais. Afora isso, Ocrest fica a mercê das leis criadas pelos Senhores de Terras e Duques.

Economia

Assim como a maioria de Asfária, as ilhas de Ocrest se destacam no comércio. Neste ponto se destaca mais a cidade estado de Sórus que é o bastião comercial da região. O que se destaca mais é justamente a troca de mercadorias com os demais continentes; Sórus construiu um porto grande o suficiente (com atracadouros e galpões) para permitir a atuação de diversos comerciários ao mesmo tempo. Outro ponto de destaque é o comércio de navios, no qual Zard se destaca.

Idiomas

O Comum é o principal idioma.

População

Assim como a maioria de Asfária, a população de Asfária é composta, em sua maioria, por imigrantes dos demais continentes. Então a maioria é de humanos, seguido de elfos e anões. A xenofobia e o racismo é praticamente inexistente em Ocrest, dada a constante mudança populacional com constantes imigrações e emigrações, dado que o Reino é basicamente a primeira parada no continente arquipélago.

Lendas

A maior lenda gira em torno do Vulcão Ocrest. Por muito tempo o vulcão foi cultuado como representação de Tarnlorvor nas ilhas, e muitos ainda acreditam em tal fato. Quando houve a erupção que destruiu a cidade de Ocrest, muitos acreditaram que era punição pelo povo deixar de cultuar o deus como se devia, já que à época as atenções se voltavam à invasão do pirata Garra Prateada. Até hoje há rumores que existe um culto secreto nas ruínas de Ocrest, o Conselho das Cinzas, que ainda mantem as tradições antigas e evita que o vulcão imploda novamente e destrua todas as ilhas.

Locais Importantes

Sórus, Zard e Okemai são certamente as cidades mais importantes, já que são as cidades estado de Ocrest e seus centros culturais e políticos. Horelin é considerada o "Primeiro Porto", pois é a primeira cidade onde os navios atracam quando chegam em Asfária e é lá que os viajantes adquirem a primeira impressão do continente arquipélago.

Religião

O culto a Tarnlorvor é muito forte em Ocrest, especialmente devido às raízes do culto ao vulcão que existiu nos primórdios da colonização das ilhas. Ynd e Tullï seguem perto.

Curiosidades

Especialistas dizem que o vulcão Ocrest deveria estar extinto há muitos anos, mas ele ainda permanece em atividade por motivos desconhecidos.

Ainda é possível ver os corpos carbonizados e transformados em cinzas petrificadas no que sobrou da cidade de Ocrest, transformando a locação em um ponto turístico, para aqueles corajosos o suficientes de chegar tão próximos do vulcão.

Geografia

O clima em Ocrest é tropical, sendo quente na maior parte do ano, mesmo no inverno.

Mapa Antigo

yddupvmt

Mapa Novo

yc5thxw4
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License