Lyan Ilmarinen

História

Lyan nasceu em uma filha nobre na capital do Reino Branco. Seus pais eram de grande influencia por aquelas terras, e por causa disso eles viajavam muito.
Sempre mimado, e idolatrado, os pais de Lyan chamavam-no de “prodígio”, mesmo ele sendo muito jovem.

A família Ilmarinem, por causa de sua grande importância, era frequentemente convidados a festas, embora com a fama, eles eram pessoas arrogantes demais e se preocupavam apenas com o próprio bem deles. Com isso, eles acabavam formando muitos inimigos.

Em uma de suas viagens a negócios, eles foram convidados para uma festa que estaria reunindo vários nobres da região. Por essa época, Lyan não deveria ter mais do que 6 anos de idade, e mesmo assim acompanhava seus pais.
O infortúnio cairia sobre aquele grande salão de comemorações aquela noite. Durante o ápice da celebração, um ataque terrível aconteceu. Pouco pode ser descrito sobre o que passou ali, acabou sendo tão rápido, e com a morte de tantas pessoas em um só lugar. Muitos dos nobres fugiram dali. O “palácio” agora pegava fogo, com as chamas queimando todos os moveis e decorações daquele tão “misero” lugar. Porem restava uma pequena criança ali dentro, Lyan não havia conseguido sair do castelo fervilhante, e estava a chorar. No momento em que perdeu sua consciência, embora ainda criança, talvez ele finalmente tenha entendido o significado de morte, algo agarrou ele e tirou daquela fogueira.

O que de fato aconteceu ali, ou o que havia acontecido com Lyan até o momento, talvez nunca mais seja lembrado por ele. Quando ele acordou, alguns dias depois, não se lembrava de nada do que havia acontecido, era apenas uma criança em lugar desconhecido, uma criança sem lembranças de nada. O lugar tinha paredes acinzentadas, mas com uma leve decoração e bordados dourados.
Lyan se levantou, desnorteado, e apenas olhando a sua volta, havia apenas uma porta no lugar, uma porta com um símbolo entalhado bem no meio dela. E por essa porta que passou um homem, um homem chamado Vidick.

Vidick ficou muito surpreso quando percebeu que Lyan não se lembrava de nada, embora conseguisse entender o que o homem falasse, ele não conseguia lembrar nem o próprio nome. Vidick foi até o garoto, e percebeu um colar com um pingente pendurado em seu pescoço, e ali estava o nome da criança, metade dele estava queimado a ponto de ser ilegível, e a única parte decifrável era seu primeiro nome: Lyan.

Por alguma razão, talvez por afeição pelo garoto, ou pena, Vidick começou a ensinar coisas para o pequenino. Eles andavam todos os dias, e todo dia Vidick mostrava algo novo para Lyan, talvez ele não conseguisse conhecer tudo, já que por alguma razão que ele desconhecia, eles estavam em algum lugar escondido de todo o mundo exterior. E naquele lugar, havia salas em que o jovem garoto não poderia entrar, de acordo com Vidick.

No primeiros anos, Lyan sempre perguntava o que havia acontecido antes dele esquecer, quem ele realmente era, porque ele estava ali. Mas com o passar dos tempos, para ele se tornou algo irrelevante, e começou a se preocupar mais com o presente do que com o passado.

Apesar disso, cada ano que passava, Lyan queria mais conhecer o mundo por trás daquele “esconderijo”. Mas Vidick nunca deixava. Foi quando Lyan fez 16 anos que Vidick começou a realmente ensinar o garoto. Eles começaram a sair daquele lugar, para o “mundo”. Foi por esses tempos em que Lyan aprendeu a arte dos combates, até então ele não sabia que seu “mentor” conhecia tanto sobre lutas, e guerras.

Com mais anos, Vidick começou a levar Lyan para cidades pobres. O garoto nunca havia visto tanta miséria e horror em sua vida, e se sentiu incomodado por tudo aquilo, ele queria ajudar aquelas pessoas. Foi quando Vidick disse que elas estavam assim, por causa de corruptos que cobravam impostos caros demais, e abusavam dos cidadãos.

Por muitos dias Lyan ficou com a imagem daquelas pessoas em sua cabeça, e começou a refletir que não podia ficar parado, com tanto horror acontecendo pelo mundo, ele queria ajudar o máximo possível aqueles que sofriam. Foi nesse momento que Vidick falou que ele podia fazer uma coisa para mudar aquilo.

Vidick levou Lyan para uma das salas que o garoto nunca havia entrado, era um salão enorme, com vários pilares dourados, e tochas que iluminavam o lugar. No fundo do grande salão, havia um homem encapuzado, sentado em um enorme trono, e nas suas costas havia uma imensa águia de ouro.

A partir daqui que Lyan entrou para a Ordem da Pena dourada, onde ele jurou lealdade a Ordem, e para nunca dizer nada sobre ela para ninguém. No começo talvez Lyan tenha achado os meios para resolver os problemas daquelas pessoas fosse um pouco “forte” demais, matar todos os causadores daquelas desgraças. Mas logo ele percebeu que talvez fosse a única maneira real de fazer aquilo.

Sua iniciação foi demorada, e seu treinamento foi árduo. Mas ele ainda não era permitido em fazer missões sozinhos, a maioria de suas jornadas era apenas para observar como era feito o trabalho. Por muitas vezes ele apenas acompanhava Vidick em suas missões, observava cautelosamente todos os passos e ações que ele tomava, e por fim via a “obra-de-arte” deixada.

Quando finalmente ele herdou a confiança da Ordem, foi-lhe dado uma missão. Sua primeira missão era saber o que estava acontecendo na cidade de Tyon, e porque ela havia ficado tão movimentada nos últimos tempos.

Características:

Lyan tem 20 anos, com uma estatura normal, cabelos curtos e pretos, e olhos muito negros.

Na maioria de seu tempo, ele anda pelas cidades apenas como um cidadão comum, mas sempre com o pingente com seu nome escrito no pescoço. Ele gostaria de saber o que aconteceu com ele quando ele tinha 6 anos, mas se preocupa mais com objetivos mais claros.
Leal a sua ordem, é sempre bondoso com as pessoas. Mesmo sendo treinado como assassino, ele tenta evitar o máximo possível de violência com as demais pessoas, e dificilmente gosta de entrar em combates direto. Ele apenas mata aqueles que ele realmente acha que merecem morrer.

A primeira missão de Lyan.

Talvez não possa ser considerada uma missão, já que ele apenas observou seu mestre Vidick completa-la.

A tarefa deles era impedir um nobre, chamado Bardesh, de executar inocentes cidadãos em uma vila perto da capital do Reino Branco. O motivo da execução era simplesmente porque as pobres almas não haviam pagado os impostos cobrado por Bardesh, então esse iria mata-los como exemplo para ninguém ficar sem pagar. O problema que a taxa era extremamente alta, e muitos dos pagantes acabariam morrendo de fome.
O trabalho de Vidick e Lyan era matar Bardesh, assim salvando a vida dos habitantes, e deixar um aviso para todos os nobres.

Para sorte deles, era que a execução seria publica, exatamente no meio da cidadezinha, e o próprio nobre iria estar ali para terminar a execução.

Vidick analisou todo o local, foi quando a hora de agir finalmente chegou. Lyan foi mandado apenas observar, ao meio da multidão curiosa que ali se formava, e depois se encontrariam na saída do vilarejo.

Vidick se misturou junto à multidão, para conseguir chegar perto do palanque de execução, e ali ele esperou. Os guardas arrastavam quatro dos prisioneiros, e levavam eles para perto do Carrasco, e seu enorme machado, pronto para cortar as gargantas dos infelizes. Logo após essa cena chocante, com montes de choros, e gritos dos parentes, Bardesh, vestido com sua capa vermelha e um cetro de ouro, subiu ao palanque.

Após um breve discurso do nobre corrupto, ele deu ação para o carrasco executar a primeira vitima. Nesse momento, uma adaga, com seu cabo adornado em um dourado extremamente brilhante e a lamina tão afiada que talvez fosse possível cortar um fio de cabelo ao meio, perfura o olho do carrasco que cai fazendo um estrondo tremendo. Em um segundo depois, Vidick pula sobre o palanque, e numa ação majestosa acerta a lamina do Punho da Redenção, que no momento reluzia intensamente um dourado coberto por sangue. Logo em seguida, ele solta o cadáver de Bardesh, deixando cair sobre ele uma pena da mesma cor de seu Punho da Redenção, e com uma ação extremamente rápida, duas adagas são lançadas acertando os pescoços dos guardas.

Quando mais guardas começaram a aparecer para capturar Vidick, já era tarde, ele havia corrido em uma rapidez tremenda, escalando as casas com uma mobilidade impossível de ser adquirida por aqueles que o perseguiam-no.

Lyan foi encontra-lo na saída da vila algumas horas depois, e lá estava ele, rindo enquanto limpava a lamina usada para matar Bardesh. E quando finalmente voltaram a “fortaleza”, comemoraram o sucesso de sua missão.

O primeiro assassinato

Um missão havia sido dada a Lyan e Vidick para assassinarem um nobre dentro de sua própria casa. Como essa já era mais uma das varias missões que eles faziam juntos, Vidick deixou Lyan fazer a ação. Eles planejaram um jeito de como entrar na mansão da vítima, as rotas de fugas, e as distrações dos guardas.

Quando tudo estava planejado, eles começaram a agir. Se dirigiram para a casa, um prédio de três andares, ocupando uma área enorme aos arredores da cidade. Como era uma noite sem lua, era possível ver as luzes acendidas dentro da casa, iluminando as varias janelas. E quando todas essas foram apagadas, eles deram inicio ao plano.

Tudo havia dado certo, Lyan conseguiu se infiltrar dentro da mansão, e chegado ao quarto do nobre, no ultimo andar da edificação. Ele estava deitado sozinho em uma cama enorme. Quando ele foi cometer o ato, a porta do quarto é aberta, e ali aparece a mulher da vitima, quando ela olhou para Lyan parado, e o marido coberto de sangue, o grito lançado fora ensurdecedor.

Com pressa, o jovem assassino tentou correr, mas já era tarde, e os guardas haviam chegado. Lyan foi se aproximando da janela, nesse momento, um dos guardas ataca Lyan, que defende-se usando o seu “Punho da redenção”, e com o impacto do golpe, a janela atrás dele quebra e ele cai.

Os guardas depois disso não conseguiram mais achar ele, Vidick havia aparecido bem na hora em que Lyan caiu, e como o garoto estava inconsciente, o mestre dele agarrou-o e tirou-o dali.

A queda acabou ocasionando alguns ossos quebrados para Lyan, que ficou alguns meses na cama, e seu Punho da Redenção estava danificado por causa do golpe e da queda.

Quando um homem veio pegar sua arma para repara-la, Vidick apareceu entregando o colar com o nome de Lyan, e explicou que havia caído de seu pescoço quando ele caiu da mansão. Nesse momento, Lyan teve a idéia de encaixar o medalhão de seu colar no Punho de Redenção, com o intuito de que seu nome seja a ultima coisa que sua vitima irá ver.

Por causa disso, a descrição de meu personagem muda um pouco.

Quando Lyan anda equipado com o Punho da Redenção, suas roupas são compridas, para assim esconder as armas. Algumas vezes ele enfaixa ambos os braços para disfarçar mais a arma em seu braço.

Como ele pediu para o medalhão ser "encaixado" no Punho da Redenção, Lyan pode tira-lo quando bem quiser, com isso, quando ele vai ficar muito tempo sem sua arma, ele pendura o medalhão em seu pescoço.

O motivo disso tudo, é que o medalhão é a unica coisa que era dele antes de perder a memoria, significando muito para ele.

Pré-Aventura

Os dias de viagem de Lyan foram muito tranquilos. Neles, o jovem pôde apreciar os as planícies verdejantes da primavera de Hyralfen. As plantações começavam a crescer e ao longe poderia-se admirar o efeito daquele "tapete verde" como se fosse de veludo, visão que só era completa durante o pôr do sol rubro no oeste. Lyan relembrou-se, então, desse prazer de simplesmente admirar a paisagem enquanto viajava sozinho para encontrar seu misterioso destino. Seu cavalo marrom caminha tranquilo, por uma estrada com movimento crescente; Narth, o nome do animal, parecia acostumado com esse tipo de viagem e já tinha adquirido um respeito de vassalagem por seu dono.

Mas os pensamentos do guerreiro estava na sua missão. Ele não era um especialista dentre aqueles que tem a Redenção rubra como arma, tampouco era um iniciante tolo e descuidado. Essa seria uma das suas primeiras missões sem o acompanhamento de Vidick, seu mentor e tutor.

Durante o último dos 8 dias de viagem, Lyan pôde perceber que sua missão realmente tinha fundamento: ele passou por pelo menos 5 carroças aparentando estarem cheias de produtos, todas cobertas com um tecido grosso típico para a proteção contra a chuva. O dia estava nublado, mas nenhuma gota caía do céu sem sol. Cada vez mais perto, Lyan podia apreciar a vegetação alta e densa do bosque da Cachoeira Tripé, sinal que Tyon estava perto. O sol já se escondia no final da planície na direção oposta, quando o andarilho solitário adentrava as ruelas movimentadas da pequena cidade. Sem demoras, Lyan encontrou a Canto Azul. Rhontar, o taverneiro, parecia muito gentil e feliz pois a freguesia estava aumentando e era notável que um aumento havia sido implantado na taverna. Àquela hora, a taverna estava começando a ficar cheia. Mas Lyan estava cansado, pediu para que cuidassem do seu cavalo e pegou a chave para um quarto. Um menino foi ordenado a tomar conta de Narth enquanto o viajante subia as ruidosas escadas da Canto Azul.

Ainda naquela noite, depois de descansar por duas horas, Lyan desceu para o que parecia um formigueiro humano. Pessoas dos mais variados tipos cantavam, bebiam, comiam e conversavam na Canto Azul. Rhontar parecia extremamente ocupado, assim como seus filhos: o mesmo menino que cuida do estábulo e uma jovem de cabelos ruivos e pouco simpática.

No meio da multidão, destacava-se um elfo de baixa estatura tocando o que parecia ser um banjo e cantando uma canção suave e harmoniosa em um pequeno palco rodeado de pessoas que pareciam encantadas com sua música. Ao lado do palco, existia uma mesa entulhada de papéis que estavam sendo examinados por uma humana com o cabelo um pouco emaranhado e com um monólogo preso a este; esta parecia tão focada em seus estudos que o mundo poderia cair ao seu redor e ela não perceberia; ainda em cima da mesa, existia uma rosa azul da qual Lyan havia ouvido os rumores de só nascer no bosqua das redondezas.

Mas Lyan tinha uma missão a cumprir, e quanto mais cedo melhor. Ele começou a investigar de maneira sutil. Sentou-se em uma mesa em que haviam mais outros dois homens que o receberam educadamente e logo começaram a contar histórias, aparentavam ser comerciantes que viajavam muito pelo reino. Usando-se de sua audição aguçada, Lyan pôde desvendar parte do mistério: os comerciantes mais antigos dali vieram depois que um fazendeiro mudou-se para Tyon. Ouvindo mais um pouco, o soldado acabou por descobrir que o fazendeiro chamava-se Yrthal e, com a sorte de esbarrar-se em um comerciante bêbado, conseguiu surrupiar do bolso deste um pequeno bilhete que fez Lyan acreditar que o tal Yrthal estava pagando para alguns comerciantes por nada; "um suborno, talvez" pensou Lyan. E a noite estava em seu auge quando Lyan não conseguia mais pensar sem sentir o peso das páupebras, tinha que dormir. Mas subiu para seu quarto satisfeito. "É incrível o que se pode descobrir à noite em uma taverna. Talvez minha missão seja bem rápida e fácil."E ele dormiu muito bem.

Na manhã seguinte, Lyan acordou tarde. Não pelo efeito do vinho (que ele não bebeu muito), mas sim porque faziam 8 dias que ele não tinha um bom descanso em uma boa cama. Era quase hora do almoço quando ele desceu. Não tomou café da manhã pois estava tarde mais. "Talvez no mercado tenha mais alguma pista" pensou.

No caminho para o mercado, o justiceiro pôde sentir na pele como aquela cidade tinha pessoas demais para pouco espaço disponível. O mercado parecia um rio de gente gritando, comprando, vendendo, negociando e discutindo. Não existia milícia na cidade, então a maioria dos comerciantes tinham seus próprios seguranças que, no entanto, pareciam mais frangotes com espadas pois sua inexperiência com a arma era visível; uns até usavam a lâmina para cortar legumes. O mercado vendia o mais variado número de coisas: tecidos, roupas prontas, alimentos, enfeites, jóias baratas, livros, mapas e até tinha um comerciante especializado em lentes (monóculos, lunetas e etc). Mas, depois de uma hora procurando, Lyan percebeu que, quando sóbrios, os comerciantes não falavam muito sobre Yrthal. Quando estava quase desistindo, ele ouviu que uma pequena carroça iria para o sítio de Yrthal no final da tarde. Era o momento oportuno para realizar uma investigação mais direta e concreta.

Enquanto Lyan tentava descobrir mais boatos, um barulho estranho chamou sua atenção. Das ruelas que passavam ao lado do mercado, Lyan viu uma carroça em alta velocidade. Esta tinha seu guia encapuzado e desrespeitava qualquer um que cruzasse seu caminho. Uma mulher quase foi atropelada.

Havia algo muito errado acontecendo.

Fichas

Nível 1

Classe: Guerreiro 1
Estilo de luta:Ordem da Pena Dourada

PV: 12
C.A: 10+3+2=15
Iniciativa: +3
For: 18 +4
Des:16 +3
Con: 14 +2
Sab:12 +1
Int: 18 +4
Car: 10 0

BBA: +1
Agarrar: 1+4=5

Fort: 2+2=4
Ref: 0+3=3
Von 0+1=1

Ataques: Espada longa: +6 1d8+4 19/20x2
Espada curta: +5 1d6+4 19/20x2
Punho da Redenção : +5 1d4+4
Adaga: +5 1d4+4

Acrobacia: 2+3=5
Escalar: 4+4=8
Prestidigitação: 2+3=5
Saltar: 4+4=8
Esconder-se:4+3=7
Furtividade:4+3=7
Ouvir: 2+2=4
Equilíbrio: 2+3=5

Talentos:
Combater com duas armas
Ataque poderoso
Foco em arma: Espada longa

Habilidades especiais:
Escolha Marcial: Ordem da pena dourada,
Perícias de Classe,
Usar Arma Exótica (Punho da Redenção),
Ataque Furtivo (1d6)

Itens: Mochila c/ cantil
1x rações
Saco de dormir
Saco
Pederneira e isqueiro
Corselete de couro
2 P.Os

Idioma: Comum, Elfo, Anão

Nível Atual

Tipo/Tamanho: Humano/Médio
Classe: Guerreiro 11
DVs: 11d10+22 (104 PVs)
Iniciativa: +9
Deslocamento: 9m (6qd)
CA: 34 (+11 Armadura, +5 Des,+2 Armadura Natural, +2 Deflexão, +4 AE(DE ONDE VEIO ISSO NETO???)), toque 21, surpreso 29
BBA/Agarrar: +12/+18
Ataques: Adaga +19/+14/+9 (1d8+12), Espada Curta +1 +21/+16/+11 (2d6+13), Espada Longa +1 +21/+16/+11 (3d6+13), Kukri +2 +22/+17/+12 (1d8+14), Lança +20/+15/+10 (2d6+12), Presa do Dragão (Adaga +1) +20/+15/+10 (1d8+13), Punho da Redenção +2 +20/+15/+10 (2d6+16), Punho da Destruição +2 +22/+17/+12 (2d6+16)
Espaço/Alcance: 1,5m/1,5m 
AE: 1.1Bençao de guerra(2x), 1.2Força dupla(dano full), 1.3Homem de armas(+4 dano):, 1.4arrmesso longo(6m), 2.Experiencia Belica(6nvl), 3.11 contra-golpe(atordado toque cd(10+nvl estilo+int), punho poderoso, ataque furtivo(6d6), homem de armas 6, ataque mortal
QE: 3.1 Periciais de classe, esquiva sagaz, usar arma exotica(pdr), queda suave 9m, estilo secundário (espada curta(2d6 furt +2cd atk mortal) e adaga), dificultar deteccçao
TR: Fort+11/Refl+10/Von+6
Hab.: For 22, Des 20, Con 14, Int 22, Sab 13, Car 10
Perícias: Equilíbrio +21, Escalar +20, Arte da Fuga +19, Esconder-se +19, Saltar +20, Ouvir +15, Furtividade +19, Abrir Fechaduras +19, Prestidigitação +19, Observar +15, Acrobacia +19, Usar Instrumento Mágico +14
Talentos: Combater com Duas Armas, Aparar, Ataque Desarmado Aprimorado, Ataque Poderoso, Combater com Duas Armas Apr, Especialização em Arma, Foco em Arma, Foco em Arma Maior, Iniciativa Aprimorada, Saque Rápido, Sucesso Decisivo Aprimorado
Tendência:
ND:
NC:
Divindade:
Conhecimentos : Surto de Adrenalina, Mestre de Habilidades, Herói, Especialização em Armadura (Peitoral)

Estilos de Luta: Mestre das Armas 4, Pena Dourada 6
Equipamento: 1x black lotus(cd 20 3d6 con/3d6), 1x lamina da morte(cd20 1d6 con/2d6), 2x veneno escorpiao(cd 18 1d6 for/1d6), 2x veneno vespa(cd 181d6dex/1d6), 3x bile de dragao(cd 26 3d6 for/3d6), 4x verm purpura (cd24 1d6 for/2d), amuleto arm natural +2, anel da deflexao +2, anel suportar elementos, botas aladas, braçadeiras for +4, cinto con +4, elixir cura completa x4, elixir escudo da fe x1, elixir invisi maior x1, frasco de acido x1, Luva des +4, manto resistencia +2, mochila de carga IV, peitoral de mith +2, perdeneira e isqueiro, poçao de cura leve x17, poçao de cura mod x2, poçao graves x8, poçao ver invi x5, reflexo prateado x3, saco, Saco de dormir, tiara int +4

Lamina Imba:
usar veneno; sangue dos deuses; ruina dos corruptos, 1/4 dvs(?)
mestre dos venenos +1 CD; destruiçao dos corruptos( atk mortal imediato); dano permanente—+1 atk mortal bonuses na lamina
Experiência: 64199

Progressão

1—Saque rapido
-Ataque poderoso
-Foco em arma
2-Combater com duas armas
3-Aparar
Conhecimento: Estilo de luta Mestre de armas
4-Iniciaitiva Apr
5-
6-Especialização em arma
-Ataque desarmado Apr
Conhecimento: Experiencia belica
7
8-Combater com duas armas apr
9-Foco em arma maior
conhecimento:heroi
10-Sucesso decisivo apr
11-
12-Especialização em arma
Especialização em combate
conhecimento: Experiencia belica
13-
14-Desarme Apr
15-Imobilização Apr
Conhecimento: ?
16-Combater com duas armas maior
17-
18-Combater com duas armas superior
Separar/Conhecimento: vitalidade do dragao
19-
20-Aparar Aprimorado

Ficha Preliminar DnDnext:

Lyan Ilmarinem

Nível: 11

Raça: Humano

Características de Raça: +1 em todas as habilidades

Habilidades: For 18(+4), Des 16(+3), Con 14(+2), Int 18 (+4), Sab 12(+1), Car 10(+0)

Classe: Guerreiro

DVs: 11d10+22 (104 PVs)

Iniciativa: +10

Deslocamento: 9m (6qd)

CA: 19 (+6 Mithral Scale+1, +2 Des, +1 Armor Focus)
Situacional: Dual Wielder +1

Bônus de Ataque: +3

Ataques: Punho da Destruição +9 (1d6+5)
Punho da Redenção +9 (1d6+5)
Espada Longa +1 +9 (1d8+5)
Presa do Dragão +1 +9 (1d4+5)

Habilidades de Classe: Second Wind (1/dia – ação – recupera metade da vida), Action Surge (+1 ação em um turno – recupera com short rest), Martial Path: Warrior (Superior Critical – 18-20; Awareness – mínimo 10 em testes de Int ou Sab para manter guarda; Armor Focus - +1 CA), Three Attacks, Defy Death (sempre que chegar a 0PVs e não morrer, faz TR Cons CD 15 para ficar com um PV)

Conhecimentos: +14: Política, Militar

Talentos: 3: Stealthy, Dual Wielder, Contra-Atacante

Tendência: LN

Novos Talentos

Contra-Atacante

-Quando um inimigo errar um ataque contra o personagem, este ganha vantagem em seu próximo ataque que ele venha a fazer até o final de seu próximo turno contra aquele oponente.

-Quando um inimigo errar um ataque corpo-a-corpo contra o personagem, este pode usar sua reação para fazer um ataque simples contra aquele inimigo.

Punho da Destruição - DnDnext

Artefato Lendário
- Punho da Redenção +1 (1d6, Finesse)

- Poderes Menores: Guardião (+2 Iniciativa), Ilusão Menor (pode alterar a forma), Sentinela (o portador sabe quando um nobre corrupto está a trinta metros), Inquebrável,

- Poderes Maiores: O portador tem vantagem em testes de ataque, de perícias, de habilidade e de resistência contra nobres corruptos; o dano da arma é dobrado contra nobres corruptos; nobres corruptos não podem evitar o dano de Punho da Destruição de nenhuma maneira mortal (o que efetivamente faz com que a arma ignore qualquer tipo de resistência ou imunidade contra os ataques do Punho da Destruição)

Lyan Ilmarinen - D&D 5e

Características Básicas

Raça/Tipo: Humanbo
Características de Raça +1 em todas Habilidades, +1 Talento
Tendência: Leal e Neutro

Defesas

CA: 19 (+6 Half Plate +1, +3 Des)
PVs: 104 (11d10+22)
Movimento: 9m (6qd)

Habilidades

For 18 (+4), Des 16 (+3), Cons 14 (+2), Int 18 (+4), Sab 12 (+1), Car 10 (+0)

Proficiências, Sentidos e ND

Proficiência: +4
TRs: Força +8, Constituição +6
Antecedentes: Assassino da Ordem da Pena Dourada
Perícias: Percepção +5, Furtividade +7, Atlético +8 e Investigação +8
Ferramentas: Ferramentas de Ladrão +7, +1 Ferramenta de Artesão
Línguas: Comum +1
Sentidos: Percepção Passiva 15
Nível/ND: 11 (85000XP)

Habilidades Passivas

Estilo de Combate: Combater com Duas Armas – Adiciona modificador de habilidade no dano da arma secundária.
Retomar o Fôlego: 1/descanso. Ação Bônus. Recupera 1d10+11 PVs
Surto de Ação: 1/descanso. Recebe uma Ação adicional neste turno.
Arquétipo Marcial Mestre da Batalha
Ataque Extra Quando usar uma Ação para ataque, ganha 2 ataques adicionais.
Indomável: 1/dia. Se falhar em um TR, refaz o teste e usa o segundo resultado.
Superioridade de Combate: Lyan conhece 7 manobras de combate, descritas a seguir. Caso exijam teste de resistência, a CD é 16. Para usar estas manobras, Lyan possui dados de superioridade igual a 5/descanso. Estes dados são d10.
Estudioso Marcial: Ganha proficiência em uma ferramenta de artesão.
Conhecer o Inimigo: Com um minuto de observação fora de combate, Lyan descobre se uma criatura é mais ou menos poderosa que ele em dois aspectos a sua escolha da seguinte lista: Força, Destreza, Constituição, Classe de Armadura, PVs atuais, Níveis de Classe, Nível de Guereiro.

Ações

Ataque: Qualquer três combinações das duas armas em mãos:
Espada Longa +1 +9 (1d8+5)
Espada Curta +1 +9 (1d6+5)
Adaga +8 (1d4+4) Distância 6m/18m
Punho da Redenção +2 +10 (1d4+6)
Combater Com Duas Armas Ação Bônus. Ataque com qualquer arma acima, menos a espada longa.

Manobras

Parry: Quando acertado por um ataque corpo-a-corpo, joga dado de superioridade, adiciona modificador de Destreza, e reduz o resultado do dano recebido.
Riposte: Quando errado por um ataque corpo-a-corpo, joga dado de superioridade, usa Bônus Action para realizar um ataque corpo-a-corpo contra o inimigo, se acertar adicionar o resultado do dado ao dano.
Trip Attack: Quando acertar um inimigo, jogar dado de superioridade e adiciona ao dano. Alvo Grande ou menor faz TR de Força ou cai.
Precision Attack: Joga dado de superioridade e adiciona em um teste de ataque corpo-a-corpo.
Disarming Attack: Quando acertar inimigo, jogar dado de superioridade e adiciona ao dano. Alvo faz teste TR de Força ou derruba um objeto que esteja segurando a sua escolha.
Pushing Attack: Quando acertar inimigo, jogar dado de superioridade e adiciona ao dano. Alvo Grande ou menor faz TR de Força ou é afastado até 4,5 metros.
Adaga Rastreadora: Quando acertar um inimigo com um ataque a distância com uma adaga, pode jogar dado de superioridade para adicionar ao dano e mover-se até 3 metros na direção do mesmo.

Talentos

Atleta: Levantar usa só 1,5 m de deslocamento. Escalar não exige deslocamento extra. Pode fazer Salto a Distância ou em Altura movendo-se antes apenas 1,5m.
Medium Armor Master: Armadura média não dá desvantagem em testes de Furitividade. Quando usando armadura média, mod. de Destreza até +3 pode ser adicionado a CA.
Dual Wielder: +1 na CA quando usando duas armas separadas em cada mão; pode usar Combater com Duas Armas mesmo quando as armas não são leves; Pode sacar e guardar ambas as armas como se fossem uma.
Alert: +5 Iniciativa; não pode ser surpreendido enquanto consciente; outras criaturas não ganham vantagem por estarem escondidas do personagem.

Itens e Outras Habilidades

Punho da Destruição: Adaga +2. Exige ligação. Pode sacar junto com qualquer ataque. O Punho da Destruição detecta Nobres Corruptos num raio de 60 metros, indicando sua direção, a localização exata do Nobre Corrupto mais próximo pode ser encontrada com uma Ação Bônus se Lyan o conhecer e souber de seus crimes. Contra Nobres Corruptos, o dano do Punho da Destruição é 2d6, ou 4d6 se Lyan tiver Vantagem no teste de Ataque. O Dano do Punho da Destruição não pode ser reduzido por nenhum tipo de resistência.
Manto Aquilino: Enquanto usando o Manto Aquilino (requer Sintonização), o Assassino da Pena Dourada é imune a todo dano de queda, enquanto consciente.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License