27 - Último Reino Amigo de Kronst

Existem dois reinos de população predominantemente orc em Faralchar. O Reino de Kronst é o único que tem um código de leis e possui um exército unido. Este reino é baseado na sobrevivência do mais forte e no poderio bélico.

História

Em nenhum momento na história de Faralchar os orcs foram bem vistos e por isso eles sempre eram rechaçados e obrigados a sobreviver de maneiras escusas, o que só piorou sua reputação. Urklor, o deus dos orcs, nunca tomou para si uma terra para sua criação ou mesmo os orcs o tinham como patrono. Nesse aspecto os orcs se parecem com os humanos que nunca tiveram um deus patrono. Mas ao contrário dos humanos, os orcs sempre priorizaram a força bruta acima de tudo e isso quase os destruiu. Um orc é um oponente temido, mas um aliado desrespeitado. Quando terminou a Primeira Era, o sul de Crionashtur se viu livre da Senhora das Sombras mas nas garras de bárbaros, os orcs eram um destes. Entretanto, quando os gigantes começaram a ser rechaçados no norte sob as mãos dos anões e elfos azuis, Kronst viu que seu povo seria apenas os próximos. Kronst era um líder de uma das tribos orcs e talvez um dos orcs mais astutos da história da raça. Ele invocou um conselho de emergência entre todas as tribos e expôs sua idéia de união para se proteger das guerras que viram a seguir. Como era de se imaginar, houve uma discussão tão acalorada que virou uma guerra quase instantaneamente. Uma das mais curtas, porém. Kronst havia usado uma substância sonífera em seus compatriotas antes da reunião na Planície Karamah e assassinou todos os líderes que faziam oposição a união. Assim Kronst se tornou o primeiro Rei Orc e surgiu o reino Kronst. Ao invés de avançar seus domínios, como qualquer bárbaro faria, o líder orc apenas dominou todas as tribos orcs da região (que era uma vasta terra, verdade) e fixou suas fronteiras muito bem. Durante muitos anos depois, Kronst treinou seu povo e mudou sua cultura para algo mais civilizado, construindo cidades, métodos de forjaria e de estratégia de guerra. Quando a guerra bateu a sua porta, o Reino Kronst estava mais do que preparado para se defender e mesmo assim só fez isso. Quando as ameaças eram rechaçadas, os descendentes de Kronst firmaram acordos de paz o que finalmente formalizou a existência do Reino em 1358 da Segunda Era. Dali em diante, o Reino Kronst se tornou um reino bélico, mas pacífico com seus vizinhos na medida do possível. O reino acabou se tornando temido devido a suas conquistas e aos treinamentos dos exércitos, que não são secretos justamente para mostrar para qualquer inimigo em potencial os poderes dos orcs e de sua civilização.

Política

O Reino de Kronst sempre viveu uma ditadura desde sua formação e esse regime sempre favoreceu o reino. Os descendentes do astuto líder orc herdaram sua inteligência e seu senso de união a qualquer custo. Isso fez o reino permanecer unido e agora muitas poucas tribos restam e elas costumam ser caçadas pelo exército do rei.

Lei

A lei é feita pelo Rei sempre que ele sobe ao trono e as punições são bastante severas, como chicotadas, amputações e a própria morte, mesmo por crimes menores. Existe uma lei em particular que é bastante interessante e que se aplica apenas ao rei: O Rei não pode ter mais de um filho, todos os descendentes secundários devem ser mortos assim que nascerem. Isso evita que hajam conflitos pela sucessão, que é quase constante devido ao curto tempo de vida dos orcs. As traições são os piores crimes e a morte não é aplicada pois julga-se que ela seria piedosa demais; geralmente amputam-se todos os membros do infrator (inclusive sua língua) e tiram-se todos os seus bens, fazendo-o passar a viver como mendigo. A escravidão existe mas somente como punição, nunca como comércio.

Economia

O setor mais importante é a agricultura e parte do que os agricultores colhem deve ser entregado ao governo como imposto. Outra prática comercial interessante é o aluguel de parte do exército para outros países para resolver assuntos pelo meio da força, mas isso dificilmente costuma acontecer fora da região próxima de Kronst.

Idiomas

Comum e Orc. Outras línguas possíveis são as dos países vizinhos.

População

Composta predominantemente de orcs e logo seguida de humanos. Todos os orcs são treinados em armas desde pequenos, mesmo os filhos de agricultores e em estratégias de combate. Isso para que em tempos de guerra, a população possa se defender. A população de Kronst sofreu uma evolução conforme o barbarismo foi extinto, os orcs de Kronst não sofrem a penalidade de Inteligência como seus irmãos de outras terras.

Lendas

Existe a lenda de que Kronst era uma representação mortal de Urklor que se arrependeu de abandonar seu povo à própria sorte e voltou no corpo de um líder que seria responsável pela união dos orcs. Dizem que Kronst é imortal (seu corpo nunca foi encontrado) e que ele vive em Rîz (uma cidade secreta nas montanhas do norte) até a atualidade.

Locais Importantes

Kronst-Dar é a capital do reino e onde está o palácio real e, por conseqüência, é a cidade mais desenvolvida de Kronst. A planície de Karamah é onde ficam os quartéis generais do Exército de Kronst e onde são realizadas as apresentações públicas. O Vale Secreto é uma planície que se localiza no meio das Montanhas do Medo (que têm esse nome devido aos resquícios de Asnüminë mesmo depois de dois mil anos depois de sua queda) e é uma localização considerada sagrada, pela lenda de Rîz; mas o fato é que todo o descendente do Rei Orc deve viajar para Rîz para aprender toda a história de seu povo, o que não invalida a lenda porque é proibido para o príncipe falar sobre sua estadia nas Terras Sagradas.

Religião

Askardin e Urklor são os deuses mais venerados. O primeiro pelo aspecto bélico do reino e o segundo por ser considerado como pai direto do Primeiro Rei Kronst.

Curiosidades

As crianças defeituosas são mortas assim que nascem pelas próprias mães em um ritual muito antigo, desde antes da união do reino. Mulheres Orcs são plenamente aceitas em qualquer tarefa no reino, mas esse direito é retirado assim que ela se casa ou tem um filho. É considerado chique em Kronst o uso de couro pesado, pois diz-se que quem usa couro pesado tem duas boas características: é forte para suportar o peso de quase dez quilos de pele e é rico o suficiente para comprá-la toda.

Geografia

O clima de Kronst é frio o que reflete sua arquitetura fechada (geralmente sem janelas) e a ocorrências de muitos aposentos no porão, sem contar na produção de roupas pesadas de couro. A maior parte da terra é plana, o que facilita a agricultura e as viagens. Kronst é limitado ao norte pelas Montanhas do Medo e ao sul pelo deserto das Terras Maculadas; essa característica é muito importante para evitar invasões por terra. Em Kronst existe uma das formações geográficas mais incomuns de Faralchar, o pântano Hav que é visto pelos habitantes como o dejeto que a Senhora das Sombras deixou para traz. As Montanhas Metálicas no centro são a principal fonte de minérios para o reino e muito bem protegida por isso. O Rio Divisor também é muito importante porque ele cruza o reino inteiro e é, portanto, sua maior via comercial.

Mapa

27%20-%20%C3%9Altimo%20Reino%20Amigo%20de%20Kronst.jpg

Mapa Novo

ybrm34bp
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License